Chega a altura do calor e, por norma, há uma grande procura de serviços de tosquia, uma vez que se tem a ideia de que, ao cortar o pelo, estamos a fazer algo de bom pelos cães, aliviando o calor que sentem. Mas será que é assim? Tosquiar os cães: Sim ou não?

É importante, em primeiro lugar, perceber que o pelo dos cães tem a função de os proteger do frio e do calor (ou seja, o equilíbrio térmico) e, também, dos raios ultravioleta.

Além disto, a transpiração e a regulação térmica dos cães é feita de uma forma diferente do que nos humanos. Os cães transpiram não pela pele mas pelas almofadas plantares e regulam a sua temperatura de duas formas: através do arfar (o chamado “pôr a língua de fora”, que é responsável por 80% da regulação térmica dos cães) e através da vasodilatação.

Outro fator importante é que a pele dos cães é bastante mais fina do que dos humanos, não estando preparada para ser exposta à radiação solar sem ter a protecção do pêlo.

Posto isto, voltamos a perguntar, Tosquiar os cães: Sim ou não? A resposta é: depende, não devemos rapar completamente o pêlo dos cães (ou seja, cortar o pêlo até ter entre 1 a 3 mm), uma vez que o animal deixa de ter o efeito protector deste.

Ao rapar o pêlo, o cão vai, na realidade, ter mais calor, corre o risco de sofrer queimaduras graves e pode perder total ou parcialmente o pelo (uma vez que este pode não voltar a crescer).

Não perca no próximo artigo mais algumas dicas e conselhos sobre o pêlo do seu cão, para que este possa ter um verão mais confortável.