Já falamos nos artigos anteriores, relativamente ao tema “Tosquiar os cães: Sim ou não?”, sobre a tosquia e porque devemos ponderar antes de recorrermos a esta. Mas sabe o que deverá fazer com o seu amigo, de acordo com o tipo de pêlo que ele tem? Fique a saber mais algumas dicas.

Continuando o tema da tosquia, um facto que deve ter em atenção é o comprimento do pêlo do cão. Em casos de cães de pelo curto, nunca devemos recorrer à tosquia pois as consequências negativas, nestes casos, vão ser ainda mais alarmantes.

Relativamente aos cães de pêlo comprido, existem alguns cuidados que devemos ter nas alturas em que o calor aperta. Cães de pêlo comprido tendem a ficar com o pêlo seco (o que vai interferir na sua função de protecção que referimos no artigo anterior). Neste sentido, e para evitar esta situação, nos banhos devem usar-se champôs específicos para pêlo seco e complementar com o amaciador. Lembre-se, quanto mais hidratado e bem tratado estiver o pêlo, mais vai proteger o seu amigo de quatro patas.

Se realmente não quiser ter todo este trabalho em casa, pois sabemos que muitos cães, na hora do banho e dos cuidados são, por vezes, complicados, recorra aos serviços de Grooming. O Grooming (ou seja, os cuidados com o pêlo) vai garantir um pêlo saudável que actuará como regulador térmico do cão, ao longo de todo o ano. Logo, os cuidados devem ser tidos ao longo de todo o ano e não só na altura de calor.

Outra situação que deve ter atenção será aos cães com sub-pêlo (raças como Caniche, Bichon Maltês, etc.), uma vez que estes também não devem ter um corte demasiado curto pelos riscos que falamos. Contudo, estas raças podem ter o pêlo ligeiramente mais curto do que as outras sem sub-pêlo, pois têm uma maior protecção.

Saiba já no próximo artigo mais alguns conselhos. Saiba o que fazer no caso dos cães que, por vários motivos, são obrigados a cortar o pêlo total ou parcialmente.