É a característica mais frequente em pacientes atópicos, com rosácea ou dermite seborreica. A pele sensível está, habitualmente, associada a rosácea, uma pele permanentemente corada e vermelha. Também pode apresentar dermatite atópica, uma pele seca e que causa comichão. “A pele torna-se avermelhada, irritada, por vezes, com prurido e intolerante aos cremes”, adverte Manuela Cochito, dermatologista. Dermite seborreica, uma pele com tendência a eritema e descamação, é outra das manifestações deste tipo de problema.

Na opinião da especialista, estes são os passos que não deve esquecer no seu ritual de beleza quotidiano, caso tenha uma pele sensível:

– Use cremes com formulações expressamente desenvolvidas para pele intolerante e sensível, com ingredientes ativos que a protejam e nutram de forma saudável e equilibrada.

– Evite exposição a ambientes secos ou muito quentes.

– Mantenha-se vigilante. Em casos extremos, quando se formam borbulhas ou a irritação é grande e desconfortável, apesar dos dois cuidados descritos anteriormente, procure a ajuda de um dermatologista.

Muitos dermatologistas recomendam o recurso a luz pulsada intensa (IPL) para combater este problema cutâneo. “Quando a pele é persistentemente muito vermelha, podem fazer-se tratamentos com esta tecnologia para aliviar a vermelhidão”, refere Manuela Cochito. Esta técnica, segundo a especialista, “reduz o calibre dos vasos e torna a pele menos vermelha e reativa”. “O tratamento pode ser feito em qualquer altura porque a pele fica só ligeiramente mais vermelha durante umas horas e depois passa”, esclarece a médica.